LEV - Centro Avançado em Controle do Peso

Notícias


POSTADO EM 08 DE FEVEREIRO DE 2018

Paciente que fez bariátrica endoscópica na LEV aprova resultado

Uberlândia foi uma das primeiras cidades do Brasil a realizar a “cirurgia bariátrica endoscópica”, um procedimento feito integralmente por endoscopia, sem cortes, com recuperação imediata e alta no mesmo dia. O procedimento é considerado pela classe médica mundial como uma das maiores revoluções para o tratamento da obesidade, tida como um grande problema de saúde pública.

O gerente de vendas, Marco Túlio Gomes, 53 anos, realizou o procedimento no dia 7 de agosto de 2017, quando pesava 117 quilos. Ele contou que já perdeu 12kg e que durante o processo passou por um acompanhamento com psicólogos e nutricionistas. Há 20 anos ele fez uma cirurgia de bypass gástrico convencional, ocasião em que pesava 160 quilos. Porém há pouco tempo voltou a ganhar peso. “Quando fiz, naquela época, fiquei 60 dias afastado do trabalho, sentia dor e não conseguia nem dirigir. Com esse novo procedimento, nem parece que fiz, porque é indolor, menos agressivo e ainda por cima não deixa cicatriz, com três dias já estava fazendo caminhada.”, afirma.

Os médicos da Clínica LEV, Luís Augusto Mattar e José Américo Gomides de Sousa, são os únicos no interior do Estado que realizam o procedimento, após terem feito sua habilitação no centro de treinamento do IRCAD em Estrasburgo, cidade da região leste da França.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, o número de cirurgias bariátricas no Brasil aumentou 7,5% em 2016, se comparado com o ano de 2015. Em 2016, foram realizados cerca de 100 mil procedimentos. No ano anterior foram aproximadamente 93,5 mil cirurgias.

O Brasil é considerado o segundo país do mundo em número de cirurgias realizadas e as mulheres representam 76% dos pacientes que fazem a redução de estômago no país. Além de indicado para o tratamento primário da obesidade, esta técnica endoscópica também pode ser empregada com resultados promissores no tratamento de pacientes operados anteriormente por meio de técnicas convencionais e que voltaram a ganhar peso. Estima-se que 20 a 30% das pessoas submetidas a cirurgia bariátrica voltam a engordar.

voltar

Outras Notícias